Ricardo Magro diz “Combustível Brasil” atrai investimentos e gera empregos

04/04/2017

No último dia 20 de fevereiro, o Ministério de Minas e Energias lançou o programa “Combustível Brasil”. O projeto apresenta dois eixos principais: o redesenho da infraestrutura portuária e o fomento ao investimento em refino. Para o advogado especializado Ricardo Magro, representante dos interesses da Refinaria de Manguinhos, o “Combustível Brasil” traz avanços significativos para a economia brasileira.

“Essa mudança das práticas da Petrobrás culminada com o plano governamental trará certamente vultosos investimentos para o Brasil, investimentos de longo prazo que estarão acompanhados de geração de emprego e de geração de maior competitividade, o que gerará a médio prazo a queda dos preços dos combustíveis para o consumidor”, avalia Ricardo Magro.
Ricardo Magro lembra ainda que essa realidade só foi possível após a mudança das práticas da Petrobrás, a qual durante muito tempo vendeu seus derivados de forma subsidiada.
Com o fim desta política, acrescentou Ricardo Magro, criou-se um clima favorável para novos investimentos. A nova gestão da Petrobrás também contribuiu positivamente para a melhora do ambiente de negócios.

O “Combustível Brasil” já movimentou o mercado. Especula-se o interesse de grandes players internacionais nas oportunidades que estarão surgindo nos próximos meses. A Refinaria de Manguinhos é um dos ativos que podem interessar a esses novos players.
Em passado o recente, o tema que mais movimentava o segmento de petróleo e derivados era o pré-sal, mas hoje isso mudou.
Desde meados de 2014, a ANP, em seus estudos estratégicos, vem pontuando o gargalo de infraestrutura brasileiro para o segmento, seja na área de refino ou ainda na questão portuária para recebimento de derivados importados.

Parece que agora o Governo Federal focou no real problema, o qual se não for superado a médio prazo poderá gerar um verdadeiro obstáculo para recuperação da economia brasileira.

Normandie Mkt 2017 - Tous droits réservés